Maduro mostra que amizade com ditadores pode ter consequências perigosas

O Ditador Nicolás maduro Tá pagando com um pontapé nos fundilhos o enorme favor que Lula já lhe fez, O presidente brasileiro, empenhou-se em melhorar a projeção internacional do chefe de um regime acusado de violação de direitos humanos pela ONU

Maduro mostra que amizade com ditadores pode ter consequências perigosas
Maduro mostra que amizade com ditadores pode ter consequências perigosas

 Em retribuição, Maduro anexou um pedaço enorme de um país vizinho, a Guiana, o que é uma ação ilegal e perigosa. Embora possa ser vista como uma jogada política isolada localizada, a anexação do território de um país vizinho raramente fica circunscrita geograficamente no mundo em rápida dissolução da ordem internacional até aqui vigente.

Qualquer disputa territorial, baseada ou não na cobiça por riquezas naturais, transforma-se imediatamente numa questão de quem é capaz de impor ordem em que lugar. Isso já está acontecendo com a Guiana e a Venezuela, aliada preferencial dos contestadores da ordem internacional chamada de liberal.

O Brasil está se saindo pequeno nessa história. A Venezuela está ignorando qualquer recado de Brasília para não cometer desatinos em público. Não é a primeira vez que isso acontece com Lula. A Colômbia deu uma bronca no presidente brasileiro pela intenção de explorar combustíveis fósseis na Amazônia, o Chile outra bronca por conta das posições de Lula na invasão da Ucrânia pela Rússia. São governos de esquerda, um de direita, o do Uruguai, não perde chance de criticar o governo brasileiro em questões comerciais, e o eleitorado argentino mandou Lula passear numa eleição presidencial na qual o presidente brasileiro resolveu se meter em favor do candidato derrotado. Mas nada se compara a essa desfeita de Maduro. É no que dá amizade com o ditador.