Cesta básica tem leve redução de preço em Palmas

A cesta básica de alimentos apresentou redução de preço neste mês de janeiro em Palmas, Sul do Paraná, na comparação com dezembro de 2023. Em relação à janeiro do ano passado, a alimentação básica está R$ 30,00 mais cara.Pesquisa conduzida pelo Departamento de Jornalismo da Rádio Club apurou que a cesta básica está custando, em média, R$ 642,74 em janeiro, valor 1,16% menor que o registrado no último mês de dezembro.Entre os produtos, banana, tomate, carne moída, arroz, farinha de trigo, banha e margarina estão com preços mais baixos. Leite longa vida, feijão, café e batata subiram de preço – destaque para a batata com elevação de 42%. O pão francês e o açúcar mantiveram os mesmos preços médios.Em relação a janeiro de 2023, o preço médio da cesta básica está 5,3% maior (em termos nominais, sem desconto da inflação). Aplicando o desconto da inflação dos últimos 12 meses, que foi estimada em 4,47% pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a cesta básica palmense está 0,79% mais cara.Entre os produtos, batata, arroz, feijão e tomate foram os que apresentaram os maiores aumentos. Pão francês, banana e açúcar também estão mais caros. Carne moída, leite longa vida, farinha de trigo, café, banha e margarina estão com preços mais baixos.A metodologia adotada para a pesquisa é semelhante à utilizada por órgãos que realizam levantamentos em nível nacional, como o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) que conduz a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada nas 26 capitais estaduais e no Distrito Federal.Foram escolhidos cinco estabelecimentos do ramo supermercadista, localizados em diferentes pontos da cidade, como forma de buscar os preços praticados em realidades distintas e aferir os dados com o máximo de confiabilidade.Os produtos e quantidades que norteiam a pesquisa são definidos por um Decreto Federal, assinado pela Presidência da República, que apresenta uma lista de alimentos, com suas respectivas quantidades, e que seria suficiente para o sustento de um trabalhador em idade adulta.

Cesta básica tem leve redução de preço em Palmas

A cesta básica de alimentos apresentou redução de preço neste mês de janeiro em Palmas, Sul do Paraná, na comparação com dezembro de 2023. Em relação à janeiro do ano passado, a alimentação básica está R$ 30,00 mais cara.

Pesquisa conduzida pelo Departamento de Jornalismo da Rádio Club apurou que a cesta básica está custando, em média, R$ 642,74 em janeiro, valor 1,16% menor que o registrado no último mês de dezembro.

Entre os produtos, banana, tomate, carne moída, arroz, farinha de trigo, banha e margarina estão com preços mais baixos. Leite longa vida, feijão, café e batata subiram de preço – destaque para a batata com elevação de 42%. O pão francês e o açúcar mantiveram os mesmos preços médios.

Em relação a janeiro de 2023, o preço médio da cesta básica está 5,3% maior (em termos nominais, sem desconto da inflação). Aplicando o desconto da inflação dos últimos 12 meses, que foi estimada em 4,47% pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a cesta básica palmense está 0,79% mais cara.

Entre os produtos, batata, arroz, feijão e tomate foram os que apresentaram os maiores aumentos. Pão francês, banana e açúcar também estão mais caros. Carne moída, leite longa vida, farinha de trigo, café, banha e margarina estão com preços mais baixos.

A metodologia adotada para a pesquisa é semelhante à utilizada por órgãos que realizam levantamentos em nível nacional, como o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) que conduz a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada nas 26 capitais estaduais e no Distrito Federal.

Foram escolhidos cinco estabelecimentos do ramo supermercadista, localizados em diferentes pontos da cidade, como forma de buscar os preços praticados em realidades distintas e aferir os dados com o máximo de confiabilidade.

Os produtos e quantidades que norteiam a pesquisa são definidos por um Decreto Federal, assinado pela Presidência da República, que apresenta uma lista de alimentos, com suas respectivas quantidades, e que seria suficiente para o sustento de um trabalhador em idade adulta.